“Abri-me as portas da justiça; entrarei por elas e renderei graças ao Eterno”.

Salmo118:19

O texto bíblico, acima, encontra-se na réplica do Portão do Arrependimento construído no interior da Beit Tefilah Rechovot. A Porta Dourada é conhecida como Portão de Ouro e tem esse nome porque foi fechado pelo mesmo tipo de pedra da muralha da cidade de Jerusalém. No nascente do Sol reflete uma cor dourada. Conhecida como Portão de Ouro ou Portas Gêmeas, possui dois portões ou portais (Norte e Sul) que dão acesso direto ao Monte do Templo. O nome árabe para a Porta Dourada é Bab al - Dhahabi e significa Porta da Vida Eterna. O Portal Sul é chamado no hebraico Sha’ar Harachamim ou Portão da Piedade. O Portal Norte é chamado Sha’ar Hatshuva ou Portão do Arrependimento. Juntos (Portão Norte e Portão Sul) formam a Porta Dourada e a melhor visão desta Porta tem-se quando estamos no Jardim Getsêmani, no Monte das Oliveiras.

Por conhecer a profecia descrita pelo Profeta Ezequiel (43:1-12) de que o Messias, em seu retorno, entrará por esses portões, o Sultão Otomano Solimão, também conhecido como “O Magnifico”, ordenou o fechamento dos mesmos (ano 1541).

O Portão do Arrependimento estabelecido na Beit Tefilah Rechovot é para demonstrar nossa identificação com nossos pais judeus, Abraão, Isaque e Jacó. Para o judeu, traduz um significado especial, principalmente no dia de Yom Kippur - O Dia do Perdão. No Livro de Mateus (3:1-2), João, o Batista, clama no deserto da Judeia e diz: “Retornai: sim, está próximo o Reino dos céus”. O ato de retorno a Adonai e à sua Torah condiciona a libertação de Israel e a vinda do Reino. No texto bíblico de Mateus capítulo 4, verso 12, “Yeshua (Jesus) ouve que João fora preso, e se retira para a Galileia” a fim de dar continuidade à mensagem de João Batista: “Retornai! Arrependei-vos! Sim, está próximo o Reino dos céus” (Mateus 4:17).

A Beit Tefilah Rechovot tem o compromisso de proclamar a mesma mensagem de retorno e dedicar-se inteiramente ao serviço a Elohîms como gratidão, pois foi a bondade de Elohîms que nos levou ao arrependimento (Romanos 2:4b). Cantaremos com todo nosso ser que a salvação vem de Adonai.

Torah

A palavra Torah não signifca lei - é inexato interpretá-la desta forma. A Torah foi traduzida pela Septuaginta (LXX) a partir da data 280 a.C. e passou a chamar-se Pentateuco (Pente no grego = cinco) e Teúchos (no grego = livro). Mais tarde a palavra Torah passou a designar de forma mais restrita, os cinco livros de Moisés; estas duas tentativas em conceituar Torah, acabaram por difundir um significado diferente do real. Na verdade, não podemos entender a palavra Torah sob o conceito cristão de lei. O conceito bíblico de Torah é muito mais abrangente. A palavra Torah indica o ensinamento do pai e da mãe para introduzir seus filhos nos caminhos da vida e adverti-los diante das ciladas da morte. “Filho meu, guarda os mandamentos de teu pai, e não deixes o ensino de tua mãe. Ata-os perpetuamente ao teu coração, pendura-os ao teu pescoço. Quando caminhares, te guiarão; quando te deitares, te guardarão; quando acordares falarão contigo. Porque estes mandamentos são lâmpada, este ensino é luz, e as correções da disciplina são caminho da vida.” (Pv. 6:20-23)

O conceito Torah compreende os dois lados da Palavra de Elohîms, o que a linguagem sistemática distingui como lei e evangelho. Na defnição da Torah, o Primeiro e o Segundo Testamentos, são mantidos na unidade da Palavra e na vontade de Elohîms revelada. Se separarmos a lei do evangelho, criaremos uma tensão entre os dois. Correremos o risco de transformá-los em mero estudo desenvolvido e aprofundado do judaísmo, ou do conhecimento teológico que culminará num conjunto de doutrinas humanas adquiridas, que por sua vez, anularão o cumprimento da justiça, da misericórdia e da fé. “... mas negligenciais o mais importante da lei: a justiça, a misericórdia e a fé”. (Mateus 23:23b). A ostentação do conhecimento é condenada por Yeshua, por ser a verdadeira razão da hipocrisia entre os homens que proclamam uma fé da qual são completamente desprovidos. “Assim sois vós: por fora pareceis justos aos homens, mas por dentro sois cheios de hipocrisia e sem Torah”. (Mateus 23:28). Yeshua aceita a totalidade da Torah, com a condição de não sacrifcar o espírito dela.
“Aprendei a fazer o bem! Praticai o que é reto, ajudai o oprimido. Fazei justiça ao órfão, tratai das cansadas viúvas”. (Isaías. 1:17) (Cf. Jeremias. 22:3).

Como a Torah é a expressão da vontade de Elohîms, nada do que nela está escrito passará até que seja cumprido no apocalipse dos novos céus e da nova terra. Os mandamentos se impõem, porque exprimem a vontade de Adonai. Obedecelos é a única maneira do servo contribuir para a realização do plano divino.

Shema Israel

Shema Israel Adonai Elohênu Adonai Echad.
Baruch Shem Kevod Malchuto Leolam Vaed.

Ouve Israel! O Eterno, nosso Elohîms, é Um.
Bendito seja O Nome Daquele cujo Glorioso Reino é eterno.

Amarás o Eterno, teu Elohîms, de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de toda a tua força. Estas palavras que hoje te ordeno, estarão permanentemente no teu coração. Tu as inculcarás a teus flhos, e delas falarás assentado em tua casa, andando pelo caminho, deitandote e levantando-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por faixa entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais da tua casa e nas tuas portas. (Deuteronômio 6: 4-9)

Se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos que hoje vos ordeno, para amar ao Eterno, vosso Elohîms, para servi-lo de todo o vosso coração com todo vosso ser, então darei a chuva da vossa terra a seu tempo, as primeiras e as últimas, para que recolhais o vosso trigo, o vosso vinho, e o vosso azeite. Darei erva nos vossos campos ao vosso gado, e comereis e vos fartareis. Cuidai para que o vosso coração não vos engane e, desviando-vos, sirvais a outros deuses, e vos prostreis diante deles. Então a ira do Eterno se acenderá contra vós, e ele obstruirá os céus, para que não haja chuva, e a terra não dê o seu fruto, e cedo desaparecereis da boa terra que o Eterno vos dá. Gravai estas minhas palavras no vosso coração e em vosso ser. Atai-as por sinal nas vossas mãos; elas estarão como faixas entre vossos olhos. Ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentado na vossa casa, andando pelo caminho, deitando-vos e levantando-vos. Escrevei-as nos umbrais de vossa casa, e nas vossas portas, para que se multipliquem os vossos dias e os dias de vossos filhos na terra que o Eterno, sob juramento, prometeu dar a vossos pais, como numerosos são os dias em que o céu permanecer sobre a terra. (Deuteronômio 11:13-21)

Disse mais o Eterno a Moisés: Fala aos filhos de Israel e dize-lhes: que façam franjas nas bordas de suas vestes por suas gerações; e que ponham nas bordas das vestes um cordão azul. Será para vós como franjas. Vós as vereis e lembrareis todos os mandamentos de Adonai e os cumprireis; e não sigais os desejos do vosso coração, nem os dos vossos olhos após os quais andais vos prostituindo. Então vos lembrareis de cumprir todos os meus mandamentos, e sereis consagrados a vosso Elohîms. Eu Sou o Eterno, vosso Elohîms, que vos tirei da terra do Egito, para vos ser por Elohîms. Eu sou o Eterno, vosso Elohîms. (Números 15:37-41)

“Eu sou Adonai; não há outro. Além de mim, não há deus. Eu te fortalecerei, ainda que não me conheças. Para que se saiba desde o nascente do Sol, e desde o poente, que fora de Mim não há outro. Eu sou Adonai, não há outro”.

Isaías 45:5-6
Portão do Arrependimento

Portão do Arrependimento construído no interior da Beit Tefilah Rechovot

Beit Tefilah Rechovot

Interior da Beit Tefilah Rechovot

Beit Tefilah Rechovot

Exterior da Beit Tefilah Rechovot

Beit Tefilah Rechovot

Jardim da Beit Tefilah Rechovot

Beit Tefilah Rechovot

Exterior da Beit Tefilah Rechovot

X